segunda-feira, 6 de dezembro de 2010


Eu rio daquilo que não acho graça. Eu suporto todos aqueles que Não deveria suportar. Eu agüento com paciência e tranqüilidade todas as culpas que preferem jogar nos meus ombros. Eu recebo sem reclamar todos os insultos que me jogam na cara. Só os suporto por bondade (Meu Deus, e lá vem essa maldita bondade novamente. E quantas vezes já não me ferrei por ela?. Quantas vezes já não fui deixada para trás, enquanto a praticava?). Mas o que todos eles não sabem é que só não os respondo por saber coisas demais da vida deles. Só não os respondo, por que sei exatamente onde se encontra o ponto fraco deles, e também porque a bondade não me permite. Mas no final, não importa muito o que eu faça, ou ature... Não importa por quanto tempo eu os suporte, no final das contas, eles vão continuar iguais, e eu não quero ser a pessoa a abrir-lhes os olhos. Algum dia, eles terão que se olhar no espelho e ver quem Realmente são. [Ou, quem sabe, permanecerão assim a vida inteira]

Nenhum comentário:

Postar um comentário