quarta-feira, 15 de dezembro de 2010


Decifre o acaso para adivinhar nosso destino. Observe o dia que te pede atenção. Não leve o tempo a serio, jogue fora o relógio, chegue mais perto. Vamos brincar de ter treze anos. Sorria. Conte-me tudo que já viveu, mas não tenha pressa. Repita isso que acabou de fazer. Faça algo que nunca pensou antes. Ajude a nutrir este meu vício infantil de exagerar. Sorria, eu sei que você também gosta de sonhar meus sonhos. Coloque nossas musicas para tocar, lembre nossas palavras, não esqueça dos espaços vazios entre as palavras. Nosso silêncio também deixou suas marcas. Sorria. Preste atenção quando eu não te disser nada. Esqueça que já teve medo, esqueça todo o resto, seja educada com o dia que te pede atenção. Ofereça algo para retribuir. Feche os olhos, feche-os e enxergue um pedaço de história. A história que só nós dois conhecemos os detalhes. Só nós somos donos de nossos detalhes, sempre seremos, perceba o que acontece, sorria. Esqueça que já teve medo, aprenda tudo novamente. Depois me ensine o que aprendeu. Chegue mais perto, viaje no tempo, daquele dia até o momento, viaje até agora. Até aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário